Lince-ibérico. Foto: Programa de Conservação Ex-Situ/arquivo

Malcata vai construir dois cercados para o lince-ibérico

A Reserva Natural da Serra da Malcata tem-se vindo a preparar para receber o lince-ibérico, felino Em Perigo de extinção. Agora dá novo passo para a futura reintrodução da espécie com a construção de dois cercados, anunciou hoje o ICNF.

A estratégia para trazer de volta o lince-ibérico (Lynx pardinus) à Serra da Malcata foi delineada a 17 de Maio passado numa reunião da Direção-Regional de Conservação da Natureza e Florestas do Centro, da equipa do lince-ibérico do Instituto de Conservação da Natureza e Florestas (ICNF) e dos presidentes das Câmaras Municipais de Penamacor e do Sabugal.

“Este território constitui uma das áreas de ocorrência histórica de lince em Portugal que, como tal, foi incluída nas áreas potenciais de reintrodução no âmbito do projeto LIFE Iberlince, não tendo sido escolhida pelo facto de à data da realização dos censos (2012 e 2013) praticamente não possuir coelho-bravo”, explicou o ICNF em comunicado enviado à Wilder.

Desde então, as duas autarquias e outras entidades têm vindo a promover iniciativas para repor densidades de coelho-bravo compatíveis com as necessidades do lince-ibérico, “não apenas de subsistência, mas que, paulatinamente, possibilitem o estabelecimento de fêmeas territoriais reprodutoras”. Ao mesmo tempo, ajuda-se a sustentabilidade alimentar de outras espécies relevantes, como várias aves de rapina.

“Serão construídos dois cercados, de forma a poderem acolher alguns linces provenientes dos centros de reprodução”, segundo o ICNF.

Esta medida será complementada a médio prazo pela natural expansão da espécie, a partir dos territórios de origem, à medida que as áreas iniciais de reintrodução, quer em Portugal – Vale do Guadiana – quer em Espanha – Andaluzia, Castilla-La Mancha e Extremadura – fiquem saturadas com os jovens linces que todos os anos nascem em liberdade.

“Para se considerar uma população selvagem de linces, além do coelho-bravo, outros fatores biofísicos e sociais da Serra da Malcata serão avaliados e, se necessário, melhorados através de uma gestão ativa.”

O regresso do lince a qualquer território onde já existiu no passado será sempre um esforço conjunto, no qual ICNF, autarquias e outros participantes contribuirão com medidas e iniciativas delineadas de forma integrada, para que o caminho de regresso decorra sem sobressaltos e possa conduzir ao restabelecimento de uma-população de lince-ibérico na Serra da Malcata, também conhecida como “Terras do Lince”.

O censo de lince-ibérico desenvolvido durante 2023 mostrou que a espécie superou a barreira dos 2 000 exemplares: 1730 em Espanha e 291 em Portugal.

(Notícia actualizada a 29 de Maio)

Helena Geraldes

Sou jornalista de Natureza na revista Wilder. Escrevo sobre Ambiente e Biodiversidade desde 1998 e trabalhei nas redacções da revista Fórum Ambiente e do jornal PÚBLICO. Neste último estive 13 anos à frente do site de Ambiente deste diário, o Ecosfera. Em 2015 lancei a Wilder, com as minhas colegas jornalistas Inês Sequeira e Joana Bourgard, para dar voz a quem se dedica a proteger ou a estudar a natureza mas também às espécies raras, ameaçadas ou àquelas de que (quase) ninguém fala. Na verdade, isso é algo que quero fazer desde que ainda em criança vi um documentário de vida selvagem que passava aos domingos na televisão e que me fez decidir o rumo que queria seguir. Já lá vão uns anos, portanto. Desde então tenho-me dedicado a escrever sobre linces, morcegos, abutres, peixes mas também sobre conservacionistas e cidadãos apaixonados pela natureza, que querem fazer parte de uma comunidade. Trabalho todos os dias para que a Wilder seja esse lugar no mundo.