Que espécie é esta: licranço

A leitora Maria Dalila Reis fotografou este réptil na aldeia de Xisto do Talasnal, Lousã, a 4 de Junho e pediu ajuda na identificação da espécie. Diogo Parrinha responde.

“Venho solicitar a identificação de uma cobra cor de cobre, encontrada a dia 4 de junho 2024, na Aldeia de Xisto de Talasnal (Lousã). É perigosa?”, perguntou a leitora à Wilder.

Trata-se de um licranço (Anguis fragilis).

Espécie identificada por: Diogo Parrinha, herpetólogo e aluno de doutoramento do BIOPOLIS/CIBIO.

“Esta não é uma cobra. É, na verdade, um lagarto ápode (i.e. sem patas) que ocorre sobretudo a norte do Tejo, conhecido como licranço ou cobra-de-vidro (Anguis fragilis)”, respondeu Diogo Parrinha.

Este é um lagarto da família dos anguídeos que pode chegar a medir 50 centímetros de comprimento. 

Alimenta-se de lesmas, larvas e lagartas e, por isso, é comum ser visto em zonas com erva. São, aliás, benéficos em jardins uma vez que ajudam a controlar pragas de lesmas e de insectos.

São animais diurnos e gostam de se aquecer ao sol. 

Ao contrário de mitos populares, o licranço não tem veneno. É inofensivo.


Agora é a sua vez.

Encontrou um animal ou planta que não sabe a que espécie pertence? Envie-nos para o nosso email a fotografia, a data e o local. Trabalhamos com uma equipa de especialistas que o vão ajudar.

Explore a série “Que espécie é esta?” e descubra quais as espécies que já foram identificadas, com a ajuda dos especialistas.

Equipa Wilder

A nossa missão é inspirá-lo a apreciar a natureza e a melhorar a biodiversidade, através de conteúdos de elevada qualidade editorial que lhe sejam úteis.